Programador ajudante e aprendiz da comunidade open source.

Criando Templates SASS Com Function Nth e Index

Pra quem trabalha com front end, sabe que a tarefa de criar folhas de estilos bem estruturadas e sem muitas repetições não é um trabalho simples. A tarefa fica mais difícil ainda quando precisamos criar diversos layouts onde cada página tem sua própria identidade visual, já que com o passar do tempo teremos mais e mais páginas.

Com a evolução do CSS veio algums linguagens que nos ajudam a escrever menos código e gerar mais conteúdo como o SCSS e o SASS, abordado nesse artigo.

Objetivo

Criar um esquema de template onde poderemos especificar as propriedades dinâmicas de forma fácil sem precisar reescrever todo o restante dos estilos.

Código base

Iremos trabalhar com 4 estruturas de código HTML identicas, porém cada uma dessas estruturas terá um stylesheet diferente. Cada estrutura contêm 3 itens: Github, Linkedin e Twitter que deverá ser estilizados utilizando as funções descrita acima de cada um deste:

<h2>none</h2>

<div class="none">
  <div class="github">http://github.com/wbotelhos</div>
  <div class="linkedin">http://linkedin.com/in/wbotelhos</div>
  <div class="twitter">http://twitter.com/wbotelhos</div>
</div>

<h2>each + nth</h2>

<div class="each-nth">
  <div class="github">http://github.com/wbotelhos</div>
  <div class="linkedin">http://linkedin.com/in/wbotelhos</div>
  <div class="twitter">http://twitter.com/wbotelhos</div>
</div>

<h2>each + nth + function</h2>

<div class="each-nth-function">
  <div class="github">http://github.com/wbotelhos</div>
  <div class="linkedin">http://linkedin.com/in/wbotelhos</div>
  <div class="twitter">http://twitter.com/wbotelhos</div>
</div>

<h2>each + nth + function + index</h2>

<div class="each-nth-function-index">
  <div class="github">http://github.com/wbotelhos</div>
  <div class="linkedin">http://linkedin.com/in/wbotelhos</div>
  <div class="twitter">http://twitter.com/wbotelhos</div>
</div>

Repare que para cada item temos descrito quais funções iremos utilizar para gerar o estilo.

Cada um desses items possuem propriedades específicas, assim como propriedades exclusivas. Iremos evoluir o primeiro estilo none, sendo que este já esta estilizado, veja:

.none
  .github
    background-color: #333
    color: #FFF
    height: 40px
    padding-top: 20px
    text-align: center

  .linkedin
    background-color: #1B86BC
    color: #EEE
    height: 40px
    padding-top: 20px
    text-align: center

  .twitter
    background-color: #00ABF0
    color: #DDD
    height: 40px
    padding-top: 20px
    text-align: center

O resultado deverá ser sempre o mesmo:

http://github.com/wbotelhos
http://linkedin.com/in/wbotelhos

Análise

Podemos ver que há um padrão:

height, padding-top e text-align são iguais para todos.
background-color e color cada um tem o seu.

Utilizando as funções each e nth

Vamos criar um outro arquivo each-nth.css.sass para refatorarmos esse código utilizando principalmente as funções each e nth para nos ajudar.

Primeiramente iremos separar os valores utilizados em variáveis que sempre iniciam com um $ no início.

Variáveis

$default-height: 40px
$default-padding-top: 20px
$default-text-align: center

$github-background-color: #333
$github-color: #FFF

$linkedin-background-color: #1B86BC
$linkedin-color: #EEE

$twitter-background-color: #00ABF0
$twitter-color: #DDD

Até aqui nada demais. Criamos as propriedades default com o prefix default_ seguido do nome da propriedade e também criamos as cores do texto e do background para cada uma das redes sociais, então para o github temos o prefixo github_ seguido da propriedade e assim por diante.

Array de dados

Para declaramos um array é bem fácil, só se diferencia de todas as linguagens do mundo por não precisamors dos parenteses envolvendo os valores, então seria assim:

$variavel: item1, item2, item3

E da mesma forma podemos ter array de array com a diferença de que os arrays internos não são separados por vírgula, mas sim por espaço em branco, ficando algo como:

$variavel: item1-1 item1-2 item1-3, item2-1 item2-2 item2-3, item3-1 item3-2 item3-3

Mas por que isso é importante pra gente? Bem, se temos um array, também temos uma função para iterá-los, logo podemos colocar nesse array todos os nomes de classe que iremos utilizar em nosso css. E melhor ainda, podemos já declarar todas as propriedades que iremos utilizar para cada um das classes, veja:

$skins: github $github_background-color $github_color, linkedin $linkedin_background-color $linkedin_color, twitter $twitter_background-color $twitter_color

O nome dessa variável nossa será $skins e cada item do array será um template. Em cada um desse template temos um outro array de dados onde a primeira posição é o nome do template, como github, por exemplo, e as outras posições são as propriedades. Os arrays do SASS começam com o índice 1, logo temos:

$skins[1]: template do github
$skins[2]: template do linkedin
$skins[3]: template do twitter

$skins[x][1]: nome do template
$skins[x][2]: cor do background
$skins[x][3]: cor do texto

Ok, respira! SASS não é para fazer somente coisas básicas como usar seu neste> dy e remover chaves e ponto-e-vírgulas. A estrutura dá um trabalhinho, mas o resultado é ótima, aguarde! (:

Com tudo dentro da variável $skins, vamos utilizar a função @each para iterar os dados com a mesma sintáxe do Ruby, JavaScript e afins:

@each $skin in $skins
  // utilizar a variável $skin aqui

A primeira coisa que queremos aqui é o nome de nossas classes, porém cada valor $skin contêm um array de três itens, ou seja, para cada $skin temos que pegar um posição específica. Para recuperarmos o índice de um array podemos utilizar a função nth(array, indice). Então para pegarmos o nome do nosso template que esta na posição 1 faríamos:

@each $skin in $skins
  nth($skin, 1) // posição 1 do array da iteração == 'github'

Mas como queremos esse nome como um seletor class, temos que concatenar um ponto com o nome do template. Para fazer essa concatenação, temos que interpolar os dados, assim como utilizamos no Ruby:

@each $skin in $skins
  .#{nth($skin, 1)} // .github, .linkedin, .twitter

Assim teremos:

.github {}
.linkedin {}
.twitter {}

Logo podemos já escrever as propriedades comuns a todos os template:

@each $skin in $skins
  .#{nth($skin, 1)}
    height: $default-height
    padding-top: $default-padding-top
    text-align: $default-text-align

Resultando em:

.github {
  height: 40px
  padding-top: 20px
  text-align: center
}

.linkedin {
  height: 40px
  padding-top: 20px
  text-align: center
}

.twitter {
  height: 40px
  padding-top: 20px
  text-align: center
}

Cool! E as propriedades dinâmicas? Bem, elas estão nos arrays internos e assim como pegamos o nome do template na posição 1, podemos pegar a cor de background na posição 2 e a cor de texto na posição 3.

@each $skin in $skins
  .#{nth($skin, 1)}
    background-color: nth($skin, 2)
    color: nth($skin, 3)
    height: $default-height
    padding-top: $default-padding-top
    text-align: $default-text-align

Repare que não utilizamos interpolação nos outros itens, pois o valor não precisa de ser concatenado a nada, há um espaço entre os dois pontos e o valor.

Assim temos o nosso resultado final do primeiro refactor:

.github {
  background-color: #333
  color: #EEE
  height: 40px
  padding-top: 20px
  text-align: center
}

.linkedin {
  background-color: #1B86BC
  color: #DDD
  height: 40px
  padding-top: 20px
  text-align: center
}

.twitter {
  background-color: #00ABF0
  color: #CCC
  height: 40px
  padding-top: 20px
  text-align: center
}

Código do refactor 1

$default-height: 40px
$default-padding-top: 20px
$default-text-align: center

$github-background-color: #333
$github-color: #FFF

$linkedin-background-color: #1B86BC
$linkedin-color: #EEE

$twitter-background-color: #00ABF0
$twitter-color: #DDD

$skins: github $github-background-color $github-color, linkedin $linkedin-background-color $linkedin-color, twitter $twitter-background-color $twitter-color

@each $skin in $skins
  .#{nth($skin, 1)}
    background-color: nth($skin, 2)
    color: nth($skin, 3)
    height: $default-height
    padding-top: $default-padding-top
    text-align: $default-text-align

Vantagens

  1. Não precisamos repetir o bloco de cada template (class), pois o @each já irá montar;
  2. Não repetimos as propriedades estáticas, pois elas são referenciadas via variáveis;
  3. Ao mudar os valores estáticos, mudamos automáticamente para todos os templates;
  4. Para mudarmos os valores dinâmicos, basta alterar os valores das variáveis de cada template.

Desvantagens

  1. As declarações de variáveis são poluidas, temos o prefixo e o nome da propriedade para cada template;
  2. Para cada valor dinâmico adicionado temos que adicionar tal item no array interno das skins, onde se esquecermos um item ou adicionarmos um a mais em alguns desses arrays internos, teremos um erro de índice;
  3. A forma de escrita do array de array vai ficando cada vez mais complexo, pois deve ser escrito sempre em uma única linha;
  4. Para recuperarmos os valores dinâmicos somos obrigados a decorar sua posição e para quem esta lendo nth($skin, 2) não significa nada.

Utilizando as funções each, nth e function

Com a ajuda da função @function podemos resolver a desvantagem 4, pois podemos isolar os valores dinâmicos em methodos com nomes de fácil relação. A forma de declarar uma função é semelhante ao do JavaScript, e como qualquer função podemos retornar valores utilizando @return:

@function foo_bar($foo, $bar)
  @return $foo

Um curiosidade é que o SASS não diferencia _ de -, então se você escrever sua variável foo-bar você pode chamar por foo_bar que irá funcionar. Porém prefiro usar o padrão: métodos com underline e variáveis com hífen.

Agora podemos resolver o item 4 dando nomes para cada um dos valores dinâmicos ficando:

@function class_name_for($skin)
  @return nth($skin, 1)

@function background_color_for($skin)
  @return nth($skin, 2)

@function color-for($skin)
  @return nth($skin, 3)

Agora ficou mais fácil, pois passamos a skin da iteração e recuperamos o valor:

@each $skin in $skins
  .#{class_name_for($skin)}
    background-color: background_color_for($skin)
    color: color-for($skin)
    height: $default-height
    padding-top: $default-padding-top
    text-align: $default-text-align

Veja, quem for dar manutenção não precisa saber qual a posição da cor do background, da cor do texto ou do nome do template, basta usar a função criada por quem deu manutenção no core do sistema de template.

Código do refactor 2

$default-height: 40px
$default-padding-top: 20px
$default-text-align: center

$github-background-color: #333
$github-color: #EEE

$linkedin-background-color: #1B86BC
$linkedin-color: #DDD

$twitter-background-color: #00ABF0
$twitter-color: #CCC

$skins: github $github-background-color $github-color, linkedin $linkedin-background-color $linkedin-color, twitter $twitter-background-color $twitter-color

@function class_name_for($skin)
  @return nth($skin, 1)

@function background_color_for($skin)
  @return nth($skin, 2)

@function color-for($skin)
  @return nth($skin, 3)

@each $skin in $skins
  .#{class_name_for($skin)}
    background-color: background_color_for($skin)
    color: color-for($skin)
    height: $default-height
    padding-top: $default-padding-top
    text-align: $default-text-align

Vantagens

  1. Não precisamos repetir o bloco de cada template (class), pois o @each já irá montar;
  2. Não repetimos as propriedades estáticas, pois elas são referenciadas via variáveis;
  3. Ao mudar os valores estáticos, mudamos automáticamente para todos os templates;
  4. Para mudarmos os valores dinâmicos, basta alterar os valores das variáveis de cada template;
  5. Não precisamos decorar o índice de cada propriedade sempre, pois durante a manutenção do core do template já criamos uma função para abstrair isso.

Desvantagens

  1. As declarações de variáveis são poluidas, temos o prefixo e o nome da propriedade para cada template;
  2. Para cada valor dinâmico adicionado temos que adicionar tal item no array interno das skins, onde se esquecermos um item ou adicionarmos um a mais em alguns desses arrays internos, teremos um erro de índice;
  3. A forma de escrita do array de array vai ficando cada vez mais complexo, pois deve ser escrito sempre em uma única linha;
  4. Ainda sim o desenvolvedor do core deve saber a posição de cada uma das variáveis durante a manutenção.

Utilizando as funções each, nth, function e index

Se você reparar bem, até então estamos declarando as variáveis para serem jogadas em um array de array. Esse array de array pode ser facilmente traduzido por uma matriz:

$skins:              github    linkedin    twitter
$background-colors:  #333      #1B86BC     #00ABF0
$colors:             #EEE      #DDD        #CCC

Menos código, mais legível. Veja que ficamos com os arrays internos separados por variáveis basicamente. Resolvemos o problema 1, pois não repetimos as declarações prefixadas. Resolvemos o problema 2, pois fica bem claro as posições dos valores por ser uma matriz, um a mais ou um a menos será facilmente visível. Resolve o problema 3, pois a proporção de crescimento é pequena e cresce para dois lados (horizontal e vertical), não mais somente para um.

Tanto faz separamos por vírgula ou por espaço os itens do array.

Agora nossa iteração $skin in $skins irá retorna apenas o nome da skin (github, linkedin e twitter) que por sua vez corresponde a posição (1, 2 e 3). Então se quisermos a color do linkedin (2) teremos #DDD, certo?

Com a função index(array, value) conseguimos recuperar qual a posição de determinado valor em um array e é com essa função que iremos pegar os valores correspondentes para cada skin. Desta forma resolvemos o problema número

@function index_for($skin)
  @return index($skins, $skin) // index(github linkedin twitter, linkedin) == 2

A função acima servirá como um ponteiro para pegarmos os valores na matriz, podemos usá-la da seguinte forma:

@function background_color_for($skin)
  @return nth($background-colors, index_for($skin)) // nth(#333 #1B86BC #00ABF0, 2) == #1B86BC

Como temos o número da coluna a buscar os dados graças ao método index_for(), basta dizermos em qual linha queremos pegar o valor, neste caso na linha das cores de fundo. Se quisermos pegar a cor, basta fazer a mesma coisa para tal linha:

@function color_for($skin)
  @return nth($colors, index_for($skin))

E por fim utilizar tais funções sem se preocupar com índices:

@each $skin in $skins
  .#{$skin}
    background-color: background_color_for($skin)
    color: color_for($skin)
    height: $default-height
    padding-top: $default-padding-top
    text-align: $default-text-align

Agora escrevemos o que desejamos: Quero um "background color para a skin linkedin", resolvendo o problema número 4.

Código do refactor 3

$default-height: 40px
$default-padding-top: 20px
$default-text-align: center

$skins:              github    linkedin    twitter
$background-colors:  #333      #1B86BC     #00ABF0
$colors:             #EEE      #DDD        #CCC

@function index_for($skin)
  // returns the index of the passed name of item on matrix
  @return index($skins, $skin)

@function background_color_for($skin)
  @return nth($background-colors, index_for($skin))

@function color_for($skin)
  @return nth($colors, index_for($skin))

@each $skin in $skins
  .#{$skin}
    background-color: background_color_for($skin)
    color: color_for($skin)
    height: $default-height
    padding-top: $default-padding-top
    text-align: $default-text-align

Vantagens

  1. Não precisamos repetir o bloco de cada template (class), pois o @each já irá montar;
  2. Não repetimos as propriedades estáticas, pois elas são referenciadas via variáveis;
  3. Ao mudar os valores estáticos, mudamos automáticamente para todos os templates;
  4. Para mudarmos os valores dinâmicos, basta alterar os valores na matriz que é bem fácil de visualizar;
  5. Não precisamos decorar o índice de cada propriedade, isso já é feito automáticamente;
  6. Com uma mesma função conseguimos recuperar diferentes valores dependendo da skin passada.

Desvantagens

  1. Conhece alguma? Comente e deixe a sua sugestão.

Lembre-se que criar um "core" do SASS é mais complicado, porém deve ser flexível o suficiente para abstrair operações para o restante da equipe utilizar.

Na experiência obtida até hoje utilizando SASS em um equipe rasoavelmente grande é que se você não seguir um padrão, terá muitos problemas e acabará caindo no mito do código mágico (extra) que o SASS gera. Criar uma estrutura forte e seguir um padrão como o do SMACSS é essencial.

Veja esse projeto no Github: https://github.com/wbotelhos/criando-templates-sass-com-function-nth-e-index

  1. Thadeu esteves 19 Abr 2014 12:10

    Muito bom seu tutorial, trabalhou muito bem com as vantagens que sass traz!
    Porem voce poderia complementar, invés de variáveis poderia usar %placeholder, no sass 3.3 ja esta disponivel um novo tipo de $map(); e o @each() não tem mais necessidade de usar o nth(). Também fiz uma pequna abordagem dessas funcionalidades no meu blog. Se der confere la pra fazer um networking. http://tadeuesteves.wordpress.com/2014/04/17/tutorial-criando-um-componente-com-sass-em-10-minutos/

    Parabens washgton!!

Em resposta:
(cancelar)
Formate seu código utilizando Markdown.